sol entre nuves de tons avermelhados

Matérias Aurora

Página 1 de 2

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Falamos a sua língua! TJDFT+Simples vem aí!

 

Você sabia que existem mil e uma maneiras de falar o português, a língua de 260 milhões de pessoas pelo mundo? Presente em quase todos os continentes, o português tem um museu no Brasil recém-aberto após um incêndio em 2015, o Museu da Língua Portuguesa.

 

Mas o que todos esses fatos têm a ver com o TJDFT? Tudo! Pois o nosso Tribunal também vai fazer parte dessa história quando começarmos a usar o português de maneira ainda mais simples interna e externamente, a fim de tornar a justiça mais acessível para todas as pessoas.

 

Tudo isso é o que propõe o TJDFT+Simples - Falamos a sua língua. Um programa realizado em parceria entre o Laboratório de Inovação do TJDFT - Aurora e a Assessoria de Comunicação Social – ACS, com apoio da Escola de Formação Judiciária e do Núcleo de Inclusão, Acessibilidade e Sustentabilidade - NUICS.

 

TJDFT+Simples.jpeg

Qual o objetivo do TJDFT+Simples?

 

A ação visa implementar a Linguagem Simples e o Direito Visual nas comunicações e no dia-a-dia do nosso trabalho. A ideia é permitir que o Tribunal produza comunicações claras e objetivas, que os cidadãos e cidadãs tenham acesso fácil, entendam e usem as informações feitas pelo TJDFT, e que o órgão promova a transparência e o acesso à informação pública de forma clara e universal.

 

E não é só isso! O programa também visa incentivar o uso de linguagem inclusiva nos atos e documentos produzidos no TJDFT, além de reduzir custos com atendimentos ao público, bem como economizar espaço de armazenamento virtual de dados a partir da produçāo de documentos mais objetivos e enxutos.

 

O TJDFT promoverá ainda a uniformização da identidade visual de seus atos e documentos, de forma que seja amplamente reconhecida pelo seu público. Dessa forma, vamos usar a língua portuguesa de forma simples e nos expressar inclusive com auxílio de ícones que permitam a qualquer cidadão e cidadã entender a Justiça.

 

Quer saber mais sobre como tudo isso vai funcionar? Então não perca o evento de lançamento do TJDFT+Simples no Teams! Vamos enviar mais informações em breve! Fique ligado!

por acs — publicado 25/08/2021, Última modificação 25/08/2021

Aurora apresenta projeto Cartório 4.0 para TJMT e TJSE

O Laboratório de Inovação Aurora apresentou, na última quinta-feira (24/6), o Programa Cartório 4.0 – ciclo Atendimento ao Público - a magistrados e servidores dos Tribunais de Justiça dos Estados do Mato Grosso e de Sergipe. A reunião atendeu a pedido do TJMT, que tomou conhecimento das boas práticas que vêm sendo desenvolvidas nesse sentido pela Justiça do DF.

 

Na reunião virtual, que reuniu 15 participantes, o coordenador do Aurora, Juiz Jayder Ramos de Araújo, explicou que, nesse ciclo, estão sendo desenvolvidas soluções remotas e presenciais para o atendimento ao público. As propostas em andamento na Casa vêm sendo estruturadas pelo Aurora a partir de pesquisas, consultas e oficinas com magistrados, magistradas, servidores, servidoras, advogados, advogadas, jurisdicionados e jurisdicionadas, além da Administração Superior.

WhatsApp Image 2021-06-24 at 15.31.52.jpeg

Na ocasião, o coordenador do Laboratório ressaltou a importância do uso da ferramenta de inovação Design Thinking para manter o usuário sempre no centro da iniciativa. Também destacou o constante monitoramento da satisfação das partes e advogados como estratégia para evolução dos serviços prestados pelo Tribunal.

 

Ao final da apresentação, os convidados fizeram perguntas e esclareceram dúvidas gerais sobre todas as etapas do ciclo Atendimento ao Público. Outros projetos, tais como Expedição 4.0 e Sistema de Apresentação e Reconhecimento Facial – SAREF, foram apresentados de forma breve e também despertaram o interesse do grupo.

 

O objetivo do TJMT ao conhecer o Programa Cartório 4.0 foi coletar ideias para a criação de uma central de atendimento nos Juizados Especiais naquele Estado. Os participantes elogiaram as ações apresentadas e frisaram que a experiência servirá de bem-sucedido benchmarkinggraças à disponibilidade do TJDFT em compartilhar ideias inovadoras.

 

por ACS — publicado 28/06/2021 12h25, última modificação 28/06/2021 12h41

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2021/junho/aurora-apresenta-projeto-cartorio-4-0-para-tjmt-e-tjse

Aurora participa de Encontro Nacional de Laboratórios

Desde segunda-feira, 7/6, o Laboratório de Inovação Aurora está participando do 1º Encontro Nacional de Laboratórios de Inovação do Poder Judiciário (E-Labs). 

 

Promovido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em parceria com o Superior Tribunal de Justiça (STJ), o Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) e a empresa de inovação Judiciário Exponencial, o evento reúne tribunais e organizações jurídicas de todo o Brasil para conversarem sobre soluções inovadoras, debater modelos, compartilhar experiências e explorar novas possibilidades para o Sistema de Justiça.

33429eb8-43f9-432b-95af-4886210e0896.jpe

O desafio dessa oficina foi desenvolver uma Central de Atendimento Remoto capaz de satisfazer tanto usuários internos quanto externos. Os participantes foram convidados a pensar sobre as competências dessa Central, os meios que ela utilizaria para prestar o atendimento e como se daria o relacionamento com o usuário e com os demais setores da Casa.

O Coordenador do Laboratório Aurora, juiz Jayder Ramos de Araújo, participou no primeiro dia do evento trazendo como case de inovação tecnológica o Cartório 4.0 e mostrando como o TJDFT vem alcançando soluções cada vez mais inovadoras a partir do foco nas necessidades e expectativas dos usuários. Para o magistrado, “o mais importante no processo de inovação é colocar a centralidade do usuário dominando e nos indicando os caminhos da inovação a partir da participação. Isso tem pautado todos os projetos do laboratório Aurora e temos sido muito bem-sucedidos neste aspecto”, reforçou.

bc0eddc1-a1c5-4247-8731-0c1da881b815.jpe

Já Mariana Bicalho Machado, supervisora do Aurora, participou nesta terça-feira (08/06) contando sobre o contexto de criação do Aurora e fornecendo um panorama sobre seus projetos e resultados desde a sua criação em outubro de 2020.

 

O E-Labs é um evento 100% online e acontece até sexta-feira, 11/06, no Youtube e em plataforma especialmente criada para o encontro. Lá, o visitante poderá conhecer ainda o estande virtual do Laboratório Aurora com vídeos, publicações e links com detalhes de cada projeto rumo à era digital.

 

por ACS — publicado 01/06/2021 14h10, última modificação 14/06/2021 10h53

Na ocasião, o Aurora apresentou o histórico do projeto e exibiu toda a documentação pertinente ao tema. Em seguida, compartilhou uma proposta de planejamento, baseada na abordagem do Design Thinking, que conta com etapas de pesquisa e imersão, ideação e resultados. A identidade visual do projeto e os demais elementos de comunicação desenvolvidos para a etapa inicial também foram mostrados aos presentes.

 

O juiz assistente da Presidência do TJSP, Dr. José Augusto Genofre Martins, manifestou concordância com o material apresentado e destacou a importância de participar do projeto, fala ratificada pela Diretora de Planejamento Estratégico, Carmen Giadans Corbillon.

PESQUISA

 

Para dar início ao projeto, o Aurora, com o apoio do CNJ, realizará uma pesquisa junto a todos os Tribunais de Justiça Estaduais para levantar informações sobre iniciativas já realizadas ou em andamento na área de Execução Fiscal. O objetivo é selecionar as ações que tenham potencial de serem escaláveis e replicáveis nacionalmente, as quais serão objeto de oficinas de ideação para aprofundamento e eventuais melhorias.

 

Entre os produtos do projeto, consta a consolidação das ações em curso no Judiciário Estadual e a realização de um seminário para apresentação dos resultados e discussão de novas perspectivas.

 

LIODS 08/2020

 

Em dezembro de 2020, a Conselheira Maria Tereza Uille Gomes, do CNJ, instituiu, por meio do Ato nº 8/2020, o Laboratório de Inovação, Inteligência e ODS (LIODS/CNJ) número 8/2020, para tratar sobre a temática de Execução Fiscal. O tema está relacionado ao ODS 17 – “Parcerias e Meios de Implementação”, que busca fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável.

 

Nesse ato, a Conselheira determinou que ficasse sob a responsabilidade do Aurora o encaminhamento das oficinas e a apresentação de uma nova forma de atuação do Judiciário em relação à execução fiscal, a partir da experiência exitosa dos Planos de Ação da Meta 09 referentes ao ano de 2020. O Laboratório de Inovação do TJSP foi designado para auxiliar nos trabalhos.

 

Para acompanhar o desenvolvimento do projeto, acesse www.auroralab.tjdft.jus.br.

por ACS — publicado 11/05/2021 09h40, última modificação 11/05/2021 09h56

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2021/maio/aurora-apresenta-projeto-relacionado-ao-ods-17-ao-tjsp

Aurora apresenta ao TJSP projeto relacionado ao ODS 17

No dia 7/5/2021, o Aurora realizou reunião com o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo - TJSP para troca de experiências e alinhamento das ações a serem desenvolvidas no projeto relacionado ao Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 17, especificamente sobre o assunto Execução Fiscal. A ação se insere no contexto da Agenda Global 2030, fruto de um compromisso assumido por 193 países, incluindo o Brasil, que busca promover o alcance de 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável até o ano de 2030.

 

Participaram do encontro servidores e magistrado do TJSP; o Juiz Auxiliar da Presidência e Coordenador do Laboratório, Dr. Jayder Ramos de Araújo; o Juiz Titular da 1ª Vara de Execução Fiscal do Distrito Federal, Dr. Weiss Webber Araújo Cavalcante; e servidores da SEPG e do Aurora.

 

 

Reunião online da equipe do Aurora com membros do TJSP.

Aurora realiza oficina de design de mandados

 

No dia 30/4, o Aurora realizou a primeira oficina de design de mandados, que contou com a participação de magistrados e servidores que atuam na área fim, inclusive oficiais de justiça. Os participantes se inscreveram voluntariamente para contribuir com o projeto Expedição 4.0, que integra o Programa Cartório 4.0. O objetivo é buscar soluções inovadoras na área de expedição de documentos e cumprimento de mandados, a fim de evoluirmos para a era digital.

 

No encontro, o Aurora apresentou os resultados da pesquisa que realizou junto às unidades judiciárias, no período de 07/04/2021 a 16/04/2021, por meio de formulário eletrônico. No levantamento, cerca de 70% das unidades respondentes relataram que as atividades que envolvem expedição correspondem a 40% ou mais do trabalho realizado. Além disso, 76% das unidades têm 3 ou mais servidores realizando prioritária ou exclusivamente as tarefas de expedição.

 

Também foram exibidos alguns dados do sistema CEMAN, de distribuição de mandados, que auxiliaram na definição dos documentos a serem trabalhados na oficina. Foi identificado que os mandados de natureza cível excedem amplamente os mandados de outras naturezas. Nesse contexto, foi selecionado para revisão o mandado de citação de natureza cível, considerando o seu potencial para atender a um alto número de unidades judiciárias.

 

Antes de partir para o momento mão na massa, foram apresentados conteúdos sobre Linguagem Simples e Visual Law aos participantes, a fim de facilitar o trabalho de análise e aperfeiçoamento do design e escrita dos mandados. Divididos em dois grupos, os magistrados e servidores presentes iniciaram a revisão do modelo de mandado escolhido, participando ativamente das atividades propostas. Ao término, os grupos apresentaram os novos modelos criados.

 

As próximas etapas do projeto envolverão compilação das sugestões dadas e alinhamento com as equipes de tecnologia acerca da viabilidade de adequação do modelo proposto ao sistema Processo Judicial eletrônico - PJe. Após, o documento será submetido à análise e aprovação da Administração Superior.

 

Gostou de saber que magistrados e servidores já estão contribuindo para a evolução do Tribunal para a era digital? Participe! Se inscreva em www.auroralab.tjdft.jus.br e seja, você também, parte do Aurora!

 

por ACS — publicado 05/05/2021 09h05, última modificação 05/05/2021 09h17

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2021/maio/aurora-realiza-oficina-de-design-de-mandados

 

Aurora faz oficina de ideação sobre atendimento

O Aurora realizou, na última sexta-feira, 23/4, uma oficina voltada à proposição de soluções digitais para o atendimento ao público no TJDFT. O encontro contou com a participação de diversas unidades do Tribunal, como a Secretaria de Atendimento ao Jurisdicionado – SEAJ, a Ouvidoria, o Núcleo de Inclusão – NIC e as Diretorias dos Fóruns, além de representantes de unidades da área fim e da tecnologia. 

 

A oficina é parte da etapa de ideação prevista na metodologia do Programa Cartório 4.0. Nessa fase, a criatividade é estimulada e os participantes são encorajados a apresentar o máximo possível de ideias, sem qualquer julgamento. 

O desafio dessa oficina foi desenvolver uma Central de Atendimento Remoto capaz de satisfazer tanto usuários internos quanto externos. Os participantes foram convidados a pensar sobre as competências dessa Central, os meios que ela utilizaria para prestar o atendimento e como se daria o relacionamento com o usuário e com os demais setores da Casa.  

 

Tela de videoconferência, com diversas pessoas sorrindo.

Como próximo passo, o Aurora analisará todas as contribuições obtidas no encontro e, com o apoio das unidades de atendimento ao público, elaborará um protótipo da Central de Atendimento Remoto do TJDFT.  A aprovação desse protótipo e a definição da área em que serão realizados os seus primeiros testes caberá à Administração Superior.  

 

Por que uma Central de Atendimento Remoto? 

 

Na etapa inicial do Programa Cartório 4.0, o Aurora coletou, por meio de consultas e oficinas, sugestões sobre como evoluir o atendimento ao público do TJDFT para a era digital. Para saber mais sobre a fase de pesquisa e imersão, clique aqui

 

Tanto magistrados e servidores, como usuários da Justiça, destacaram a importância da criação de unidade especializada em atendimento, seja ela remota ou presencial. A expectativa é de que a centralização permita otimizar a execução das rotinas cartorárias e aumente a eficiência do atendimento prestado, por meio da padronização das informações e aperfeiçoamento dos processos de trabalho. 

 

Em razão da pandemia, as soluções de atendimento ficarão focadas na modalidade digital, até o retorno das atividades presenciais.  

 

por ACS — publicado 27/04/2021 10h15, última modificação 27/04/2021 10h42

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2021/abril/aurora-faz-oficina-de-ideacao-sobre-atendimento

Aurora finaliza mais uma etapa do Cartório 4.0

O Aurora concluiu a etapa de Pesquisa e Imersão do Ciclo Atendimento ao Público do Programa Cartório 4.0. Nessa fase, o Laboratório de Inovação promoveu extenso levantamento de dados pertinentes ao tema, buscando determinar de forma mais fidedigna possível a realidade do atendimento ao público no Tribunal.   

 

A fim de compreender de forma aprofundada a experiência dos usuários com o atendimento ao público no TJDFT, o Aurora realizou consulta pública a advogados e jurisdicionados para verificar quais são os meios de atendimento considerados mais eficientes, as principais queixas em relação ao serviço e as sugestões para aperfeiçoamento do atendimento visando à transição do TJDFT para a era digital.   

 

Em adição, o Aurora elaborou, além de estudos demográficos, análise da correlação de acessos aos fóruns em relação ao número de processos pendentes por região administrativa, com o objetivo de identificar locais de grande relevância para ações de atendimento ao público. O Laboratório também participou de encontros virtuais com os Tribunais de Justiça dos Estados de Rondônia e Mato Grosso do Sul para conhecer boas práticas sobre o tema em destaque.  

 

Quanto aos magistrados e servidores, foram realizadas 18 oficinas com 223 participantes de 39 áreas distintas do Tribunal. As oficinas buscaram identificar os meios de atendimento utilizados no Tribunal, o perfil dos atendentes, as dificuldades encontradas na interlocução com outros atores da Justiça e as principais queixas tanto dos usuários externos quanto dos próprios servidores. O Aurora também coletou soluções para a transição do atendimento ao público para a era digital e questionou sobre os desafios a serem enfrentados em relação a uma possível centralização desse serviço.  

 

Centrais de processamento alinhadas, em perspectiva, numa sala branca moderna. Se lê: TJDFT CARTÓRIO 4.0. Modernização das atividades cartorárias.

CARTÓRIO 4.0 

 

Lançado em outubro de 2020, o Programa Cartório 4.0 tem o objetivo de desenvolver soluções inovadoras para modernizar as atividades cartorárias, a fim de evoluirmos o TJDFT para a era digital. 

 

O Aurora disponibilizou, no período de 2 a 23 de outubro de 2020, pesquisa que pretendia identificar a área que representaria o maior desafio para o alcance do objetivo do projeto. Com 82 dos 417 votos registrados, a área escolhida por magistrados e servidores foi o Atendimento ao Público. 

 

A metodologia adotada pelo Aurora na condução de seus projetos segue a abordagem do design thinking. Dessa forma, com a conclusão da etapa de Pesquisa e Imersão, o Laboratório se prepara para a etapa de Ideação, em que magistrados e servidores poderão propor soluções para o desafio identificado, as quais serão oportunamente transformadas em protótipos e testadas em busca de um produto viável de implementação. 

 

O próximo ciclo a ser desenvolvido pelo Aurora no Programa Cartório 4.0 tratará da Expedição. Acompanhe as iniciativas deste e de outros projetos no site do Aurora!  

 

por ACS — publicado 20/04/2021 09h38, última modificação 20/04/2021 09h38

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2021/abril/aurora-finaliza-mais-uma-etapa-do-cartorio-4.0

"O sistema de Justiça que emergirá desse momento de crise será mais transparente, eficiente e acessível"

por ACS — 13/4/2021

No início do mês de outubro de 2020, mais precisamente no dia 2 daquele mês, era lançado o Laboratório de Inovação do Judiciário do DF - o Aurora. A implantação do laboratório foi o primeiro projeto estratégico idealizado e concluído nesta gestão, o que é motivo de grande orgulho. Sob as premissas de colaboração, empatia e experimentação, e com o objetivo de desenvolver soluções hábeis para aperfeiçoar os serviços da Justiça, a  unidade é coordenada pelo Juiz de Direito e Assistente da Presidência do TJDFT Jayder Ramos de Araújo, que nos fala nessa entrevista sobre essa importante iniciativa. 

Retrato do Juiz Coordenador do Aurora, com camisa social azul escuro, em frente ao espaço físico do Laboratório.

O TJDFT passa, certamente, por uma transformação na sua forma de trabalhar, centrado na evolução tecnológica e na ampla conectividade, cenário antecipado em decorrência da pandemia da Covid-19. Que impacto essa mudança traz aos membros do Judiciário e à sociedade em geral?

Nesse momento, todos assistimos a uma transformação profunda nas relações de trabalho e no dia a dia das pessoas. A tecnologia, sem dúvida, tem sido uma das grandes responsáveis por isso. Em nosso Tribunal, por exemplo, a manutenção da prestação jurisdicional em patamares de excelência só foi possível em razão de quase 100% do acervo de processos da Corte já se encontrarem digitalizados. A realização e transmissão ao vivo de sessões e audiências, bem como o atendimento remoto das partes e advogados, também se tornaram realidade pela adoção de novas ferramentas de trabalho e investimento constante em evolução tecnológica. Assim, em que pese todos os desafios impostos pela pandemia, nossa experiência tem demonstrado que o sistema de Justiça que emergirá desse momento de crise será mais transparente, eficiente e acessível.

 

Nesse contexto, a implantação de laboratórios de inovação vem se consolidando como uma boa prática no Judiciário, diante da necessidade de modernizar a entrega da prestação judicial. Mas o que o jurisdicionado pode esperar de um laboratório de inovação?

O diferencial de um laboratório de inovação é o foco no usuário. No contexto do Poder Judiciário, esse espaço busca trazer para dentro dos Tribunais as expectativas e necessidades da sociedade, a fim de proporcionar uma prestação jurisdicional mais aderente aos anseios sociais. Para isso, o laboratório se vale de processos de colaboração, empatia e experimentação, que se apoiam na reunião de diferentes pessoas e ideias organizadas para um objetivo comum, que, no nosso caso, é aproximar a Justiça do cidadão.

 

Lançado em outubro do ano passado, num cenário bastante desafiador, o laboratório Aurora está prestes a completar seis meses de implantação. Já é possível fazer um balanço das atividades realizadas desde então?

Nesses primeiros meses, o Aurora, cumprindo sua vocação de sempre atuar com foco no usuário, buscou conhecer a percepção do público interno e externo e ouviu mais de 220 magistrados e servidores, além de 2 mil advogados e jurisdicionados sobre o atendimento prestado pela Casa, consolidando-se como uma ponte entre o Tribunal e a sociedade. O Laboratório também realizou encontros com vários Tribunais, tanto da esfera estadual como federal, com o objetivo de compartilhar experiências e boas práticas, atuando como facilitador. Nesse sentido, ele tem se mostrado um grande promotor do diálogo entre as áreas e coordenador de esforços, trabalhando de forma colaborativa, com escuta ativa e visão sistêmica, para o alcance dos objetivos do Tribunal. E essa atuação colaborativa tem se tornado uma marca fundamental do Aurora. Após contribuir para a implantação do Balcão Virtual, no momento, o Laboratório está trabalhando no design de serviços a serem ofertados na modalidade digital, além de ter recentemente lançado mais um grande desafio, a Expedição 4.0, que buscará desenvolver soluções inovadoras na área de expedição de documentos e cumprimento de mandados.

 

A Expedição 4.0 integra os processos de trabalho do Cartório 4.0, que desponta como principal projeto do Aurora, e teve seu pioneirismo reconhecido pelo Secretário-Geral do Conselho Nacional de Justiça - CNJ, Valter Shuenquener. Qual o objetivo do Cartório 4.0 e qual a sua principal contribuição ao Judiciário?

De início, é importante destacar que o nome do programa foi inspirado na quarta revolução industrial, mais conhecida como Indústria 4.0, que representou um salto da humanidade na sua relação com a máquina. Nesse contexto, o Programa Cartório 4.0 foi criado para auxiliar o TJDFT na transição para a era digital, a partir do desenvolvimento de soluções inovadoras para modernizar as atividades cartorárias. Assim, acredito que a grande contribuição desse programa seja colocar a tecnologia a serviço da prestação jurisdicional, de acordo com os anseios e necessidades da sociedade, a fim de criarmos novos horizontes às atividades cartorárias e judiciárias das Cortes de Justiça.

 

Atendimento ao público foi o tema eleito como o primeiro desafio a ser enfrentado para a implantação do Cartório 4.0. E no tocante a esse assunto, o Aurora teve papel fundamental também na recente implantação do Balcão de Atendimento Virtual do TJDFT. Como foi essa experiência?

Nesse projeto, o Aurora mediou o contato e contribuiu para a atuação conjunta das equipes de tecnologia da informação (TI), servidores das unidades jurisdicionais, Ouvidoria e áreas de atendimento ao jurisdicionado. Atuar com equipes diversas unidas por um desafio em comum foi uma experiência muito enriquecedora, uma vez que uma das atividades assumidas pelo Aurora  foi facilitar a comunicação entre as unidades envolvidas, buscando o alinhamento e a integração de todos. Além disso, o Aurora teve uma participação intensa no aperfeiçoamento da experiência do usuário, promovendo a simplificação da linguagem adotada e do próprio caminho a ser percorrido para acessar a plataforma. Nesse contexto, foram elaborados pelo Laboratório o Manual de Instalação do Fundo Institucional, utilizado na padronização das salas virtuais, o Manual de Acesso ao Balcão Virtual do público externo e o Manual do Balcão Virtual, este último em parceria com a área de TI. Com o Balcão instalado, o Aurora tem se dedicado a coletar feedback de magistrados, servidores, partes e advogados, com vistas à melhoria contínua da ferramenta.

 

O TJDFT tem se destacado pela utilização de Inteligência Artificial em vários projetos, conforme constatado também pelo CNJ. O Aurora já vislumbra a utilização de IA em algum de seus projetos?

Atualmente, o Aurora tem auxiliado o desenvolvimento do Sistema de Apresentação Remota com Reconhecimento Facial – SAREF, projeto de inteligência artificial de autoria do Serviço de Ciência de Dados – SERCID em resposta à demanda da Vara de Execuções das Penas em Regime Aberto – VEPERA. A participação do Laboratório se concentra no aperfeiçoamento da experiência do usuário, a partir do design tanto das telas do sistema que serão apresentadas nos totens de autoatendimento como do próprio modelo de suporte físico do equipamento, observando acessibilidade, linguagem simples e inclusão. Considerando os avanços que se pretende realizar na prestação jurisdicional ofertada por nosso Tribunal, vislumbro grandes oportunidades de utilização da inteligência artificial e de outras tecnologias em projetos futuros do Aurora.

   

Apesar de haver um espaço físico destinado ao laboratório de inovação do TJDFT, no térreo do Fórum de Brasília, o trabalho remoto imposto pela pandemia da Covid-19, fez com que o site do Aurora seja, atualmente, seu principal canal de comunicação com os colaboradores. Como tem sido feita essa interação com os usuários e como as pessoas interessadas podem participar?

O Aurora nasceu na pandemia e, desde o seu início, tem realizado todas as suas atividades no meio remoto. Esse, sem dúvida, foi um dos grandes desafios enfrentados pelo Laboratório, pois sua atuação tem como premissa o contato com os usuários dos serviços do Tribunal, contato esse drasticamente reduzido em face da Covid-19. Mas como uma das premissas do Laboratório é se reinventar, dessa vez não foi diferente. Assim, o Laboratório se valeu de todas as mídias e espaços remotos disponíveis para se comunicar com o usuário, a partir de análises prévias de qual seria a melhor ferramenta para cada público. O site tem sido o maior repositório de informações acerca das atividades do Aurora, enquanto as videoconferências têm sido bastante utilizadas em oficinas com o público interno. O contato com o público externo, por outro lado, tem sido realizado por meio de consultas na internet, no Instagram e até pelo sistema do Processo Judicial Eletrônico (PJe). Vale destacar que é constante a busca pelo aperfeiçoamento da comunicação do Aurora e, no momento, estamos explorando a solução do Microsoft 365 recentemente adquirida pelo Tribunal para verificamos como podemos utilizá-la para esse propósito.

Para todos aqueles que gostaram de tudo que leram até aqui e desejam contribuir com o Aurora, basta acessar o site www.auroralab.tjdft.jus.br e se inscrever nos nossos projetos!

 

© Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios – TJDFT
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta publicação, desde que citada a fonte.

Cartório quatropontozero.jpg

Começa o ciclo Expedição do Cartório 4.0

O Cartório 4.0 cresceu, agora ele é um programa! Com essa mudança, foi dada a largada para a realização de um novo ciclo, a Expedição 4.0, que tem como objetivo buscar soluções inovadoras na área de expedição de documentos e cumprimento de mandados, a fim de evoluirmos para a era digital.   

 

A decisão de iniciar esse novo ciclo partiu da Administração Superior ao reconhecer a relevância da atividade e o seu impacto na prestação jurisdicional. Esse novo desafio envolverá a implementação simultânea de projetos interdependentes, inclusive de alguns já em desenvolvimento na Casa, como o E-carta e o Cadastro Inteligente de Pessoas. Além disso, será realizada a revisão do leiaute de mandados do Tribunal, abrangendo o design, a linguagem e a padronização.  

 

Seguindo a abordagem do Design Thinking, o projeto contará com etapas de pesquisa e imersão, definição do problema, ideação, prototipação e testes voltados à identificação de um produto viável de implementação. A primeira etapa, que busca o desenvolvimento de estudos e a escuta dos usuários sobre o desafio, já se encontra em andamento.

CONSULTA EXPEDIÇÃO 4.0 

Como primeira ação neste novo ciclo, o Aurora, com o apoio da Corregedoria, está realizando uma consulta junto aos gestores das unidades judiciárias para colher informações sobre o processo de trabalho relativo à expedição. Para realizar o levantamento, foi elaborado um formulário que deverá ser preenchido pelo Diretor de Secretaria ou seu substituto. Cada unidade deverá preencher um único formulário até o dia 14/04.   

 

INSCRIÇÕES ABERTAS. PARTICIPE!  

 

O Aurora disponibilizou também um formulário para inscrição de interessados em participar do projeto. As contribuições poderão ser tanto com informações sobre a realidade da expedição e do cumprimento dos mandados, quanto colocando a mão na massa e fazendo parte do desenvolvimento de soluções.  

 

por ACS — publicado 07/04/2021 09h55, última modificação 07/04/2021 10h40

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2021/abril/comeca-o-ciclo-expedicao-do-cartorio-4.0

Aurora fomenta inovação no TJDFT

 

O ano de 2020 ficou marcado pelo lançamento do Laboratório de Inovação do TJDFT, espaço criado para lançar luzes sobre novas ideias e fomentar as mudanças no Tribunal. O Aurora, como ficou conhecido o Laboratório após votação realizada pela intranet, opera sob as premissas da colaboração, da empatia e da experimentação, proporcionando um ambiente lúdico de interação e criação conjunta de soluções inovadoras. 

 

No Aurora são reunidas pessoas, ideias, necessidades e oportunidades em processos estruturados de exploração, pesquisa, prototipagem e teste para criar processos de trabalho e serviços cada vez mais adequados à promoção da Justiça e da paz social, missão institucional do TJDFT.

 

Confira, abaixo, um pouco mais sobre esse espaço de fomento à inovação no Tribunal, que utiliza métodos ágeis e práticas colaborativas no desenvolvimento de soluções com foco no usuário.

 

fomenta inovação.jpg

O ESPAÇO FÍSICO

 

O layout do Aurora foi desenvolvido com base em conceitos de sustentabilidade, neuroarquitetura, design biofílico e acessibilidade. O objetivo foi propiciar aos frequentadores um ambiente que promova bem-estar, reconexão com a natureza e colaboração. 

 

Na concepção do espaço, foi priorizada a utilização de materiais de baixo impacto ambiental e o aproveitamento da luz natural. A acessibilidade foi garantida por meio de sinalização tátil a partir do acesso principal do prédio. A marca e as cores foram aplicadas de forma lúdica em vários pontos de forma a conferir identidade ao espaço.

 

O Aurora conta com uma sala de reunião e oficinas, um espaço com estações fixas para a equipe do laboratório, uma área de acolhimento com arquibancada e tela de projeção para realização de eventos e um café. O mobiliário modular permite personalizar o ambiente em várias configurações, conforme a necessidade do usuário.

 

A sede do Aurora está sendo construída na ala B do térreo do Fórum de Brasília, local de fácil acesso e grande circulação de pessoas.  Clique aqui e faça um tour virtual pelo laboratório. Confira também no Flickr do TJDFT as fotos do projeto do espaço físico.

 

O AMBIENTE VIRTUAL

 

Devido o trabalho remoto imposto pela pandemia da Covid-19, o site será o principal canal de comunicação e interação do Aurora com os usuários neste momento. Nele, estão disponíveis informações sobre história, funcionamento, premissas, projetos e desafios do laboratório, bem como espaço para participação e colaboração dos usuários e curadoria de conteúdo sobre inovação (livros, eventos, cursos). A ambiente virtual conta ainda com espaço para registro de sugestões, elogios, críticas sobre o Aurora.

 

Em Revele seu talento, por exemplo, que funciona como uma espécie de banco de talentos, o usuário poderá registrar suas habilidades para que oportunamente possam ser utilizadas em projetos e ações do Aurora de forma voluntária. 

 

O Laboratório de Inovação do TJDFT foi instituído por meio da Resolução 8/2020. Quer saber mais? Acesse o site do Aurora.

 

por ACS — publicado 21/01/2021 08h55, última modificação 22/01/2021 13h52

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2021/janeiro/aurora-fomenta-inovacao-no-tjdft

fomenta inovação.jpg

Aurora: realizações e evolução

O Aurora – Laboratório de Inovação do TJDFT – fechou 2020 com a realização de 13 oficinas de atendimento ao público dentro do projeto Cartório 4.0, que envolveram mais de 150 servidores e magistrados, das mais diversas Varas, Juizados e unidades do Tribunal. A metodologia adotada recebeu avaliação positiva da Casa, tendo 57% dos respondentes se declarado surpreendidos e 43% satisfeitos com a forma de trabalho apresentada. Não houve nenhuma escolha das opções indiferente e insatisfeito (de acordo com pesquisa de satisfação com 64 questionários respondidos).

 

Entre os produtos entregues pelo Laboratório, consta o Manual Respostas Rápidas WhatsApp Business, que faz uso de Linguagem Simples, isto é, de uma técnica de criação de textos fáceis de ler e mais próximos da fala. O documento foi criado a partir de uma demanda, recebida durante as oficinas, de diretores e servidores de cartórios que buscavam modos mais ágeis e padronizados de atendimento ao público durante a pandemia. A Ouvidoria, parceira no projeto, disponibilizou um Banco de Respostas Rápidas com textos prontos para uso. Os materiais, que já contam com mais de 300 acessos, foram disponibilizados pela TI em forma de artigos na Intranet/Ordem de Serviço/Solicitação de Serviço.

 

Além de magistrados e servidores da área fim, atuantes no desenvolvimento do projeto Cartório 4.0, o Aurora, em menos de 3 meses de atividade, também se dedicou a pesquisas, consultas e parcerias. Ainda no ano passado, em um de seus primeiros esforços de prototipação, o Aurora conduziu oficinas de design da interface do Sistema de Apresentação Remota e Reconhecimento Facial – SAREF, desenvolvido pelo Serviço de Sistema de Dados – SERCID em resposta à demanda recebida da Vara de Execuções das Penas em Regime Aberto (VEPERA).

 

Além disso, o Laboratório teve a chance de já iniciar encontros e compartilhamento de práticas e experiências com outros Tribunais, como o Tribunal de Contas de Pernambuco, Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul e o Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia. 

 

NOVOS PROJETOS

 

O último compromisso assumido pelo Laboratório foi com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por meio do seu Laboratório de Inovação, Inteligência e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (LIODS/CNJ). O objetivo da parceria é a incubação de projeto escalável e replicável sobre execução fiscal, a ser elaborado com base nos Planos de Ação da Meta 9 relacionados ao ODS 17 – Parcerias e Meios de Implementação.

 

EVOLUÇÃO

 

Lançado em outubro do ano passado, o projeto Cartório 4.0 passará para a próxima fase ainda no início de 2021. De acordo com o planejamento elaborado, a fase de pesquisa e imersão será concluída em janeiro, após a análise dos dados coletados. Nova mobilização de servidores deverá ocorrer na fase de ideação de soluções, cujo início está previsto para fevereiro.

 

Em breve e de forma paralela aos trabalhos voltados ao atendimento ao público, o Laboratório deverá evoluir o projeto do Cartório 4.0 para outra atividade cartorária, que será divulgada ainda neste mês.

 

Gostou dos projetos do Aurora? Acesse o site www.auroralab.tjdft.jus.br e descubra todas as formas de contribuir!

por ACS — publicado 14/01/2021 10h30, última modificação 15/01/2021 12h25

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2021/janeiro/aurora-realizacoes-e-evolucao

respostas rápidas.jpeg

WhatsApp: respostas rápidas auxiliam no atendimento

O TJDFT disponibilizou na intranet, nesta quinta-feira, 17/12, um banco de respostas rápidas para auxiliar servidores no atendimento realizado ao público por meio do WhatsApp Business. Essa demanda surgiu durante as oficinas de atendimento ao público realizadas pelo Laboratório Aurora, no âmbito do projeto Cartório 4.0, nas quais muitos servidores de Varas e Juizados trouxeram a necessidade de padronização de respostas a perguntas frequentes recebidas em seu cotidiano.

 

As respostas inseridas no banco foram elaboradas pela Ouvidoria-Geral para otimizar as suas atividades, uma vez que, em 2020, efetuou mais de 5000 atendimentos por meio do WhatsApp. Assim, como forma de aproveitar o trabalho já realizado na Casa, foi feita uma articulação entre o Laboratório de Inovação, a Ouvidoria-Geral e a Secretaria de Apoio a Governança e Gestão Integrada de Tecnologia da Informação – SEATI, que resultou no compartilhamento dessas respostas na Central de Serviços.

Na Central de Serviços também foi disponibilizado um manual com o passo a passo de como cadastrar e utilizar as mensagens no WhatsApp Business. 

Para usar as respostas rápidas, basta copiar os textos sugeridos e cadastrá-los no aparelho celular que contenha o WhatsApp Business da unidade.

 

Futuramente, a ideia é o Tribunal contar com um banco colaborativo, no qual todos os servidores poderão sugerir mensagens que melhor se adaptem as suas rotinas de trabalho.

 

O QUE SÃO RESPOSTAS RÁPIDAS?

 

Trata-se de um serviço disponível no WhatsApp Business que permite o envio de mensagens prontas de forma ágil. É útil para usuários que costumam enviar os mesmos textos com frequência, como horário de atendimento das Varas, informações sobre solicitação de certidões, acesso a processos no PJe, dúvidas em geral, entre outros. 

 

O serviço permite salvar até 50 respostas rápidas, que devem ser cadastradas individualmente em cada aparelho telefônico. É possível utilizar respostas rápidas no WhatsApp Business Web, desde que as mensagens estejam cadastradas no aparelho celular.

 

por ACS — publicado 17/12/2020 14h25, última modificação 18/12/2020 13h34

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/dezembro/respostas-rapidas-auxiliam-no-atendimento-ao-publico

Seu cartório não será mais o mesmo!!!

Está em curso no Tribunal uma transformação digital e você pode fazer parte dessa mudança!

 

O Laboratório de Inovação Aurora tem realizado oficinas sobre atendimento ao público, área apontada na consulta relativa ao projeto Cartório 4.0 como o maior desafio para que o TJDFT evolua para a era digital. Até o momento, foram realizadas oficinas específicas para as Varas Cíveis e de Família, Criminal e para os Juizados Especiais. Estão agendadas para esta semana oficinas voltadas aos Cartórios Judiciais únicos e à Vara de Execução Penal.

 

Independente da sua área de atuação judicial, sua opinião é muito importante para o Tribunal! O Aurora quer conhecer suas rotinas de trabalho, suas ideias sobre como aprimorar os serviços prestados e sobre soluções que podem fazer parte do Juízo 100% digital.

 

Conheça a agenda de oficinas abertas à participação de servidores e magistrados de todas as áreas judiciais:

 

Quarta-feira, 25/11/2020, das 10h às 11h30;

Terça-feira, 1º/12/2020, das 10h às 11h30;

Quarta-feira, 2/12/2020, das 17h às 18h30.

 

oficinas abertas.jpg

Ficou interessado em fazer parte dessa transformação? Envie um e-mail para auroralab@tjdft.jus.br com seu nome, matrícula e a data em que deseja participar, que nós enviaremos o link da reunião, a qual será realizada por meio da plataforma Zoom.

 

Contribua para a transformação que você deseja ver no TJDFT!

 

por Aurora — publicado 24/11/2020 08h20, última modificação 24/11/2020 11h06

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/novembro/seu-cartorio-nao-sera-mais-o-mesmo

Cartório quatropontozero.jpg

Cartório 4.0 reúne diretores de Varas Cíveis e Família

Nessa quinta-feira, 12/11, o Aurora - Laboratório de Inovação do TJDFT realizou a primeira oficina virtual com diretores de Varas Cíveis e de Família. O foco de discussão foi o “Atendimento ao público”, tema escolhido pelo Tribunal como prioridade no desenvolvimento do Projeto Cartório 4.0.

 

A oficina, que contou com a participação do Juiz Assistente da Presidência Jayder Ramos de Araújo, faz parte da fase de pesquisa do projeto e embasará os trabalhos do Laboratório na construção do novo modelo de Atendimento do TJDFT. Na próxima semana, o Aurora se reunirá com diretores e servidores de Varas Criminais. A expectativa é de que todas as especialidades judiciais participem de eventos similares.

 

Na ocasião, por meio de uma plataforma colaborativa e com dinâmica baseada na abordagem do Design Thinking, os participantes puderam narrar as principais queixas relatadas pelos usuários, bem como expor suas ideias sobre como aprimorar os serviços prestados pelos juízos e sobre que soluções podem fazer parte do Juízo 100% digital. Além de apresentarem percepções e sugestões, os servidores responderam questões sobre rotinas de trabalho, serviços mais demandados e públicos de maior interação com suas varas.

 

Em consulta realizada pelo Laboratório, após a oficina, 40% dos envolvidos se disseram surpreendidos [positivamente] com a metodologia abordada e 60% satisfeitos. 

DESIGN THINKING

 

É uma abordagem criativa de tomada de decisão, resolução de problemas e criação de novos produtos e serviços. O seu desenvolvimento se dá a partir da colaboração dos diferentes públicos interessados na questão e de suas mais variadas perspectivas, sempre com foco nas necessidades e benefício dos usuários a serem impactados pelas soluções que serão construídas.

 

O Design Thinking é desenvolvido em etapas que envolvem, entre outras: imersão (conhecer o problema), ideação (sugerir possíveis soluções), prototipação e testes (criar uma versão simples da solução escolhida e apresentá-la a usuários para validação); só então, depois de aprovado, o serviço ou produto é desenvolvido em sua plenitude.

 

ATENDIMENTO AO PÚBLICO

 

A área foi escolhida, por meio de consulta interna, como primeiro desafio a ser abordado dentro do projeto Cartório 4.0. A pesquisa, realizada entre 13 e 23 de outubro, recebeu um total de 417 manifestações de servidores e magistrados. “Atendimento ao público” recebeu 82 votos, 19,66% do total.

 

Ficou interessado em participar do projeto Cartório 4.0? Visite o site do Aurora para conhecer mais sobre a iniciativa ou clique aqui e preencha direto o formulário de participação.

 

por ACS — publicado 13/11/2020 09h20, última modificação 20/11/2020 11h40

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/novembro/cartorio-4-0-aurora-reune-diretores-de-varas-civeis-e-de-familia

Cartório 4.0: a atividade escolhida foi atendimento

O TJDFT lançou no dia 2/10 o Cartório 4.0, primeiro grande projeto do Laboratório de Inovação – Aurora. Para contribuir com essa importante iniciativa da atual gestão, nas últimas semanas, magistrados e servidores foram convidados a indicar a atividade cartorária que representa o maior desafio para o TJDFT na evolução para a era digital. Com 82 votos, 19,66% do total, a atividade vencedora foi o atendimento ao público.

 

Durante a Consulta Cartório 4.0, realizada de 13 a 23/10, foram recebidos 417 formulários, nos quais os participantes tiveram que selecionar uma entre as seguintes opções: “Análise de documentos/juntada”, “Atendimento ao Público”, “Audiências”, “Dados cadastrais”, “Espaço físico”, “Expedição”, “Movimentação processual”, “Prazos”, “Sistemas”. O formulário contava ainda com campo em aberto para indicação de outras atividades e espaço destinado à sugestão de ideias para os desafios apresentados, que recebeu mais de 200 manifestações.  

 

resultado consulta.jpg

A partir de agora, os esforços do projeto Cartório 4.0 estarão voltados para o desenvolvimento de uma solução para modernizar o atendimento ao público. Para tanto, nas próximas semanas, será iniciada a etapa de pesquisa e imersão. A ideia é aprofundar o conhecimento sobre a rotina de atendimento ao público nos cartórios e compartilhar experiências, práticas e ideias por meio de encontros virtuais, grupos focais, entre outras ferramentas.

 

Com base nas informações coletadas, a equipe do Laboratório atuará na identificação do problema e na realização de oficinas de ideação para definir a melhor solução a ser implementada. Para enfrentar esse desafio, o Aurora contará com o apoio de 81 servidores e 8 magistrados, que se cadastraram como voluntários, por meio do formulário Ajude a construir o Cartório 4.0, com intuito de participar efetivamente das ações que integram o projeto, conforme perfil, habilidades e áreas de interesse.

 

Acesse o site do Aurora e conheça o projeto Cartório 4.0.

 

por ACS — publicado 28/10/2020 09h30, última modificação 28/10/2020 14h21

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/outubro/cartorio-4-0-atividade-escolhida-foi-atendimento-ao-publico

o que é.jpg

O que é o Cartório 4.0? Saiba como colaborar

O nome Cartório 4.0 foi inspirado na quarta revolução industrial, mais conhecida como Indústria 4.0. A conectividade, a inteligência artificial, a automação, a internet das coisas e tantas outras inovações tecnológicas incorporaram-se às nossas vidas e têm impactado, profundamente, nosso modo de viver.

 

Na Justiça, não é diferente. Nos últimos meses, aprendemos que é possível atender advogados de forma remota, que há meios para a realização de audiências por videoconferência e que, mesmo sem papel, conseguimos colher assinaturas e firmar acordos.

 

A tecnologia se coloca, nesse cenário, a serviço da prestação jurisdicional, como uma grande aliada na execução de tarefas repetitivas e exaustivas com rapidez e eficiência. Você pode estar se perguntando: será a substituição do homem pela máquina? Não, muito pelo contrário.  Com o Cartório 4.0, a ideia é que nós humanos, como seres pensantes, possamos focar nossa atuação nas atividades complexas e criativas e na nossa capacidade de inovar.

Para tanto, o Cartório 4.0 foi desenvolvido com base nas seguintes premissas: integração de serviços e informações de forma a democratizar o acesso à justiça; segurança, proteção, integridade e privacidade de dados e informações; serviços intuitivos para melhorar experiência do usuário com o sistema de Justiça; e interatividade.

 

Mas para que o projeto se torne realidade, a Alta Administração conta com o engajamento voluntário de magistrados e servidores na realização de diagnóstico interno. Para participar, basta preencher o formulário “Consulta 4.0”, que ficará disponível no site do Aurora até o dia 23/10. A ideia da consulta é que magistrados e servidores da área fim do Tribunal indiquem a atividade cartorária que representa maior desafio para as varas na evolução para o cartório digital.  A partir dos dados coletados, será definida a atividade a ser priorizada, para a qual será desenvolvida uma solução por meio de oficinas de ideação, prototipação e testes.

 

Todo processo será realizado de forma democrática e colaborativa com foco no usuário final, o cidadão. O TJDFT conta com sua colaboração! Quer saber mais? Acesse o site do Aurora.

 

por ACS — publicado 19/10/2020 12h45, última modificação 19/10/2020 14h40

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/outubro/o-que-e-o-cartorio-4-0-saiba-como-colaborar

Comitê de Atenção Prioritária apoia o projeto Cartório 4.0

 

No dia 20/10, foi realizada a terceira reunião do Comitê Gestor Regional de Atenção Prioritária ao Primeiro Grau de Jurisdição com os membros da gestão, designados pela Portaria Conjunta 91/2020. A reunião teve, entre outros objetivos, alinhar o Plano de Ação do Comitê ao projeto estratégico Cartório 4.0. Para isso, o Juiz-assistente da Presidência do TJDFT e Coordenador do Laboratório de Inovação do TJDFT – Aurora, Jayder Ramos de Araújo, e a equipe do Aurora apresentaram o projeto para os membros do Comitê.

 

O Cartório 4.0 está alinhando com o objetivo do Comitê que é desenvolver iniciativas voltadas ao aperfeiçoamento da qualidade, da celeridade, da eficiência, da eficácia e da efetividade dos serviços judiciários da 1ª instância.

 

Mas, para que o projeto se torne realidade, a Alta Administração conta com o engajamento voluntário de magistrados e servidores na realização de diagnóstico interno. Para participar, basta preencher o formulário “Consulta 4.0”, que ficará disponível no site do Aurora até o dia 23/10. A ideia da consulta é que magistrados e servidores da área fim do Tribunal indiquem a atividade cartorária que representa maior desafio para as varas na evolução para o cartório digital. A partir dos dados coletados, será definida a atividade a ser priorizada, para a qual será desenvolvida uma solução por meio de oficinas de ideação, prototipação e testes.

 

O Comitê está elaborando a Proposta de ações para o novo Plano de Ação da gestão 2020-2022, que será finalizado e divulgado em breve.

 

Outro item deliberado durante a reunião foi a nova sigla do Comitê. CGPRIORI foi a eleita pelos membros!
CGPRIORI e Aurora: em busca da modernização das atividades cartorárias!

 

por ACS — publicado 18/10/2020 11h25, última modificação 23/10/2020 11h41

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/destaques/2020/outubro/comite-de-atencao-prioritaria-apoia-o-projeto-cartorio-4.0

Ajude a construir o Cartório 4.0: formulário disponível
Cartório quatropontozero.jpg

Com o lançamento do Laboratório de Inovação do TJDFT – Aurora, nasceu também o Cartório 4.0. O objetivo é desenvolver soluções inovadoras para a tramitação dos processos judiciais, a partir da modernização, padronização e automação das atividades cartorárias, com intuito de melhorar a experiência do usuário e conferir mais qualidade aos serviços prestados à população.

 

Mas para que o Cartório 4.0 se torne realidade, a Alta Administração conta com o engajamento voluntário de magistrados e servidores na realização de diagnóstico interno. Para tanto, está disponível no site do Aurora até o dia 23/10, o formulário “Consulta 4.0”, no qual magistrados e servidores da área fim do Tribunal podem indicar a atividade cartorária que representa maior desafio para as varas na evolução para o cartório digital.

 

A partir dos dados coletados, serão realizadas pesquisas, entrevistas e trabalho de campo para definição da atividade a ser priorizada. Com o problema definido, o foco será o desenvolvimento da solução a partir de oficinas de ideação, prototipação e testes para definir a solução mais efetiva e implementá-la.

 

Se você quer colocar a mão na massa e ajudar a construir o Cartório 4.0, você pode indicar suas habilidades e áreas de interesse em outro formulário também disponível no site do Aurora e, assim, fazer parte das equipes dos projetos e contribuir efetivamente para o desenvolvimento das soluções.

 

A ideia é que todo processo seja realizado de forma democrática e colaborativa com foco no usuário final, o cidadão. Quer saber mais? Acesse o site do Aurora.

 

ALTA ADMINISTRAÇÃO ENGAJADA NO CARTÓRIO 4.0

 

Segundo a Corregedora da Justiça do DF, Desembargadora Carmelita Brasil, “No Cartório 4.0, magistrados e servidores poderão expor problemas e dificuldades encontrados na gestão da vara desde os mais simples até os mais complexos. As questões serão examinadas e debatidas e as soluções encontradas serão testadas para comprovar a eficiência”.

 

A Magistrada reforça a importância da participação da 1ª instância no desenvolvimento do projeto e a cooperação e integração de diferentes unidades na construção das soluções. “O Tribunal passará a ser visto não como uma soma de partes, mas como um todo interligado e harmonioso. Essa visão holística redundará certamente em grande eficiência na prestação jurisdicional e propiciará ambiente mais sereno e fraterno para todos nós que aqui militamos”.

 

Conforme explica o Juiz-assistente da Presidência do TJDFT e Coordenador do Aurora, Jayder Ramos de Araújo, a ideia é contar com auxílio da máquina naquilo que é trivial, nos processos manuais exaustivos, e “evoluir para um modelo no qual nós humanos sejamos mais requisitados para aquilo que é mais nobre, que é atividade pensante, criativa para que a gente possa ter tempo para expressar nossa sensibilidade e prestar uma jurisdição de qualidade”.

 

por ACS — publicado 14/10/2020 13h00, última modificação 22/10/2020 18h03

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/outubro/ajude-a-construir-o-cartorio-4-0-formulario-disponivel

Aurora: conheça o Laboratório de Inovação do TJDFT

O Laboratório de Inovação do TJDFT – foi lançado na última sexta-feira, 2/10, em evento ao vivo 100% online que atraiu 400 pessoas entre magistrados, servidores e público externo. Abaixo você poderá conhecer um pouco mais sobre esse espaço de fomento a inovação do Tribunal, que utilizará métodos ágeis e práticas colaborativas no desenvolvimento de soluções com foco no usuário.

 

O NOME E A MARCA

 

O nome Aurora foi selecionado por meio de concurso interno, patrocinado pela Amagis-DF e Assejus-DF, que contou com 411 ideias inscritas. Segundo sua idealizadora, a servidora do TJDFT Adelyse Lopes, “aurora é a claridade que precede o nascer do sol e os primeiros indícios de alguma coisa; um começo” e, assim como o laboratório de inovação, “ajudará a revelar uma nova realidade, um novo dia”.

 

Com a definição do nome, foi iniciado o processo de criação da identidade visual e da marca, construída a partir da letra A, inicial de Aurora. O formato triangular representa mudança e fluidez e os vértices os estágios de um ciclo (começo, meio e fim), inerentes aos processos ágeis de desenvolvimento de soluções, metodologia que será utilizada no laboratório. 

 

As cores foram inspiradas no céu de Brasília e aplicadas em degrade de forma a reapresentar a diversidade de tons. Clique aqui e confira vídeo sobre o processo criativo da marca.

fomenta inovação.jpg
conheça1.jpg

O ESPAÇO FÍSICO

 

O layout do Aurora foi desenvolvido com base em conceitos de sustentabilidade, neuroarquitetura, design biofílico e acessibilidade. O objetivo foi propiciar aos frequentadores um ambiente que promova bem-estar, reconexão com a natureza e colaboração. 

Na concepção do espaço, foi priorizada a utilização de materiais de baixo impacto ambiental e o aproveitamento da luz natural. A acessibilidade foi garantida por meio de sinalização tátil a partir do acesso principal do prédio. A marca e as cores foram aplicadas de forma lúdica em vários pontos de forma a conferir identidade ao espaço.

O Aurora conta com uma sala de reunião e oficinas, um espaço com estações fixas para a equipe do laboratório, uma área de acolhimento com arquibancada e tela de projeção para realização de eventos e um café. O mobiliário modular permite personalizar o ambiente em várias configurações, conforme a necessidade do usuário.

A sede do Aurora está sendo construída na Ala B do Térreo do Fórum de Brasília, local de fácil acesso e grande circulação de pessoas.  Clique aqui e faça um tour virtual pelo Laboratório. Confira também no flickr do TJDFT as fotos do projeto do espaço físico.

O AMBIENTE VIRTUAL

 

Devido o trabalho remoto imposto pela pandemia da Covid-19, o site será o principal canal de comunicação e interação do Aurora com os usuários neste momento. Nele, estão disponíveis informações sobre história, funcionamento, premissas, projetos e desafios do laboratório, bem como espaço para participação e colaboração dos usuários e curadoria de conteúdo sobre inovação (livros, eventos, cursos). A ambiente virtual conta ainda com espaço para registro de sugestões, elogios, críticas sobre o Aurora.

 

Em Revele seu talento, por exemplo, que funciona como uma espécie de banco de talentos, o usuário poderá registrar suas habilidades para que oportunamente possam ser utilizadas em projetos e ações do Aurora de forma voluntária. Já em Traga seu desafio, a ideia é encontrar soluções para os problemas apresentados pelos usuários, por meio da troca de ideias, de facilitação intermediada pela equipe do laboratório ou ainda pela simples disponibilização do espaço e ferramentas ao usuário. 

 

A sua colaboração é fundamental para o sucesso do Aurora, instituído por meio da Resolução 8/2020. Participe, ajude a construir o Tribunal do Futuro. Quer ficar por dentro do primeiro grande projeto do Aurora, o Cartório 4.0, acesse o site do Aurora.

 

por ACS — publicado 06/10/2020 11h45, última modificação 06/10/2020 13h45

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/outubro/aurora-conheca-o-laboratorio-de-inovacao-do-tjdft

conheça2.jpg
Criatividade e inovação marcam lançamento do Aurora
lançamento1.jpg

Colaboração, empatia e experimentação, sob essas premissas nasceu, na última sexta-feira, 2/10, o Laboratório de Inovação do TJDFT – Aurora. Com uma abordagem moderna e criativa, o projeto foi lançado em evento ao vivo 100% online que atraiu 400 pessoas entre magistrados, servidores e público externo. O vídeo do evento de lançamento pode ser conferido no canal oficial do TJDFT no YouTube e já conta com mais de 900 visualizações.

 

Durante o lançamento, o Presidente do TJDFT, desembargador Romeu Gonzaga Neiva, explicou que “o laboratório surge para potencializar a criatividade de cada um de nós – servidores, magistrados, colaboradores e sociedade – ao tempo em que trás o jurisdicionado para o centro de nossas ações a fim de juntos criarmos soluções hábeis a transformar a Justiça”. Segundo o magistrado, o Aurora será um ambiente de estímulo à criatividade, de geração de novas ideias e de desenvolvimento de soluções para aperfeiçoar os serviços da Casa.

 

Para a 1ª Vice-Presidente, desembargadora Ana Maria Duarte Amarante Brito, a colaboração é a peça chave para atender os problemas da sociedade cada vez mais complexos, imprevisíveis e transversais, o que demanda “união de esforços para efeito multiplicadores”. “Quando nós unimos diferentes perspectivas, habilidades e conhecimentos, nós aumentamos o potencial inovador de qualquer equipe, o engajamento dos seus membros e as possibilidades de geração e formulação de soluções”, ressaltou.

 

Ao abordar a importância da empatia – “enxergar o mundo sob a lente do outro” – no processo de inovação, a 2ª Vice-Presidente, desembargadora Sandra de Santis, citou como exemplo a conciliação e a mediação na construção de soluções mais satisfatórias para as partes. “Essa valorosa experiência nos permite afirmar que é exatamente por meio do caminho da escuta ativa e da compreensão do outro que criamos conexão. Conexão essa capaz não apenas de aperfeiçoar a solução que entregamos, mas de nos transformar no processo”.

 

Em sua fala, a Corregedora da Justiça do DF, desembargadora Carmelita Brasil, reforçou que a experimentação é a essência da inovação e que é preciso afastar o medo, o qual “impede o ser humano de alcançar grandes realizações”. A desembargadora destacou ainda que precisamos aprender a lidar com o fracasso, que “também é uma forma de aprendizagem”, uma forma de “reconstruir o novo”. Por fim, a magistrada mencionou a necessidade de substituir a hierarquia e a competição – “valores extremamente cultivados em todas as instituições” – pela colaboração para alcançar resultados efetivos. 

 

 

 

 

 

lançamento2.jpg

Opinião compartilhada pelo juiz-assistente da Presidência do TJDFT e coordenador do Aurora, Jayder Ramos de Araújo. “Não vai ser a imposição da ideia pela autoridade, mas a autoridade da melhor ideia que vai prevalecer”. O magistrado mediou um bate-papo descontraído com o juiz Faustino Macedo Ferreira, coordenador do Instituto de Inovação Ideias do TJPE, protagonista na implantação de laboratório de inovação na justiça estadual.

 

Na ocasião, o juiz do TJDFT destacou o espírito colaborativo da inovação e o trabalho em rede. “Os desafios são grandes e as complexidades não nos permitem nos fechar e querer construir sozinhos esse caminho”, disse. Segundo o magistrado, o laboratório foi concebido para ser um ambiente democrático, transparente, “refúgio verdadeiro para criatividade e inovação na Casa”, uma espécie de catalisador de novas ideias, com foco no usuário.

 

Além disso, ao afirmar que o erro faz parte do processo de criação, o juiz questionou o magistrado pernambucano sobre como fazer as pessoas compreenderem que o erro é um processo natural para quem quer criar e fazer algo diferente. Em resposta, o juiz do TJPE explicou que o laboratório é o lugar seguro para errar, pois é nele que são feitas as experimentações e pototipações das soluções.

lançamento3.jpg

O magistrado pernambucano falou ainda sobre a experiência do Ideias e destacou que o maior desafio na implementação de um laboratório é a percepção de valor por parte da instituição, estimular a cultura da inovação na Casa, mostrar que existe um caminho diferente para chegar num lugar melhor. O juiz lembrou também a importância da inovação aberta e a necessidade da Justiça ser redesenhada, uma vez que foi construída sob perspectivas frias e formalidades, que de certa forma distanciam o Judiciário da sociedade. “Toda vez que a gente se distancia do usuário, a gente está se deslegitimando”, destacou.

 

Por fim, o magistrado pernambucano ressaltou que a instituição não pode ter a falsa percepção que o laboratório é o único lugar da ideia no Tribunal. “É importante incentivar e deixar claro que a capacidade de inovação e criação surge nas unidades e que o laboratório é apenas catalisador”. Para o magistrado, a “inovação está dentro de todos nós. A criatividade é o que nos diferencia dos outros primatas”. Por isso, a importância de estimular focos de inovação em toda instituição, segundo o juiz.

 

Durante o lançamento, o público teve ainda a oportunidade de fazer tour virtual pelo espaço físico, conhecer o site, o processo de escolha do nome e a concepção da marca e da identidade visual e, ainda, o primeiro grande projeto do Aurora: o Cartório 4.0.

O Laboratório de Inovação do TJDFT foi instituído por meio da Resolução 8/2020. Quer saber mais? Acesse o site do Aurora.

 

NA MÍDIA

 

O Jornal da Justiça, da TV Justiça, em sua 2a edição da última sexta-feira, 2/10, destacou o lançamento do Laboratório de Inovação – Aurora. O vídeo traz o Presidente do TJDFT, Desembargador Romeu Gonzaga Neiva destacando o empenho da Corte em buscar soluções inovadoras no contexto da pandemia do novo coronavírus. Traz, ainda, a Corregedora da Justiça do DF, que apresentou o primeiro produto do Aurora, o Cartório 4.0, ferramenta por meio da qual magistrados e servidores poderão expor problemas e dificuldades encontradas na gestão de cada unidade. Clique aqui para assistir à reportagem.

 

por ACS — publicado 05/10/2020 08h00, última modificação 06/10/2020 11h43

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/outubro/criatividade-e-inovacao-marcam-lancamento-do-aurora

lançamento.png
02 10 20 ROMEU G NEIVA e JAYDER RAMOS -
00:00 / 32:09

Lançamento Aurora hoje, 16h, ao vivo pelo YouTube

 

Hoje, 2/10, a partir das 16h, será realizado o evento de lançamento do Laboratório de Inovação do TJDFT – Aurora. Com mais de 250 inscritos, o evento também será transmitido ao vivo pelo canal oficial do Tribunal no YouTube.

 

Durante o lançamento, os participantes terão a oportunidade de fazer um tour 3D pelo laboratório – espaço moderno e lúdico de interação, experimentação, colaboração e de fomento à cultura da inovação no Tribunal.

 

Na ocasião, você poderá desfrutar ainda de bate-papo descontraído sobre a experiência de implantação do laboratório de inovação do TJPE e conhecer o primeiro grande projeto do Aurora: o Cartório 4.0.

 

E vem desafio por aí. Fique ligado! Sua colaboração será fundamental para o sucesso da iniciativa. Participe! Ajude a construir o Tribunal do futuro.

 

O Laboratório de Inovação do TJDFT foi instituído por meio da Resolução 8/2020

 

ENTREVISTA

 

Nesta sexta-feira, 2/10, às 10h, o Presidente do TJDFT, Desembargador Romeu Gonzaga Neiva, e o juiz assistente da Presidência Jayder Ramos de Araújo concederam entrevista, ao vivo, para o programa Revista Justiça da Rádio Justiça sobre o lançamento do Laboratório de Inovação do Tribunal – Aurora. 

 

Clique ao lado para ouvir a entrevista.

 

por ACS — publicado 02/10/2020 09h40, última modificação 05/10/2020 13h25

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/outubro/lancamento-aurora-hoje-14h-ao-vivo-pelo-youtube

Aurora: Presidente e juiz concedem entrevista ao vivo

Nesta sexta-feira, 2/10, às 10h, o Presidente do TJDFT, Desembargador Romeu Gonzaga Neiva, e o juiz assistente da Presidência Jayder Ramos de Araújo concederão entrevista, ao vivo, para o programa Revista Justiça da Rádio Justiça sobre o lançamento do Laboratório de Inovação do Tribunal – Aurora.

 

O espaço de fomento à inovação da Justiça local será lançado nesta sexta-feira, 2/10, em evento 100% online com transmissão ao vivo pelo canal oficial do TJDFT no YouTube. Para acompanhar a entrevista, basta sintonizar no canal 104,7 FM ou acessar o YouTube da Rádio Justiça.

 

Durante o lançamento, os participantes terão a oportunidade de fazer um tour 3D pelo laboratório – espaço moderno e lúdico, propício a troca de experiências e práticas colaborativas. Na ocasião, será apresentado ainda o primeiro grande projeto do Aurora – o Cartório 4.0 – e realizado um bate-papo sobre a experiência de implantação do laboratório de inovação do TJPE.

 

O Laboratório de Inovação do TJDFT foi instituído por meio da Resolução 8/2020.

 

por ACS — publicado 01/10/2020 21h00, última modificação 02/10/2020 09h40

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/outubro/presidente-e-juiz-concedem-entrevista-sobre-o-aurora

entrevista.png

Aurora: por que criar um laboratório de inovação?

 

Nesta sexta-feira, 2/10, às 16h, o TJDFT lançará o Aurora. E você pode estar se perguntando: por que criar um laboratório de inovação? A resposta é simples: para desenvolver soluções para problemas cada vez mais complexos de um mundo em constante transformação.

 

Afinal, o mundo mudou, inovar não é mais uma opção e precisamos nos adaptar às mudanças para não ficar para trás. Além disso, o usuário também não é mais o mesmo e exige soluções que atendam de fato a suas necessidades.

Mas o que diferencia um laboratório de inovação de outros setores? Ele é um espaço projetado para estimular a criatividade e a colaboração, focado na perspectiva do usuário e que prioriza a agilidade no desenvolvimento das soluções.

 

Assim, surge o Aurora: ambiente ideal para criar novas ideias, compartilhar conhecimento, testar e desenvolver novas soluções, aprimorar processos e serviços do Tribunal, sempre com foco no usuário.

 

E, para que o Aurora seja realmente um espaço de fomento à inovação na Casa, ele terá sua atuação pautada em metodologias específicas e suas atividades desenvolvidas a partir de algumas premissas:

por que criar.png

Inovação no setor público – criar o novo a partir da mudança de perspectivas. É gerar valor e desenvolver processos, produtos e serviços que impliquem melhoria significativa na eficiência, na eficácia e na efetividade de resultados para a sociedade.

Empatia – compreender o outro – necessidades, desejos e limitações – e ser capaz de desenvolver soluções que de fato melhorem a vida das pessoas.

 

Colaboração – trabalhar junto para construção de um benefício coletivo. É agregar olhares e experiências diferentes em uma ação comum de esforços complementares.

 

Experimentação – testar ideias, analisar hipóteses e mudar rapidamente o que for necessário, a fim de encontrar as soluções mais adequadas, com a otimização de recursos.

 

Ficou curioso? Quer saber mais sobre o Laboratório de Inovação do TJDFT, fazer um tour virtual 3D pelo espaço e ainda conhecer o primeiro grande projeto do Aurora – Cartório 4.0? Inscreva-se no evento de lançamento por meio da página da Escola até o dia 1/10.

 

por ACS — publicado 29/09/2020 09h20, última modificação 29/09/2020 09h20

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/setembro/aurora-por-que-criar-um-laboratorio-de-inovacao

TJDFT realiza dois grandes eventos sobre inovação

A cultura da inovação está em pauta no TJDFT! No próximo dia 2/10, será lançado o Laboratório de Inovação da Casa, que ganhou o nome de Aurora, após votação entre magistrados e servidores. Além disso, o TJDFT vai promover, entre os dias 7 e 9/10, o I Seminário Nacional de Gestão e Inovação no Judiciário – A Justiça na era digital, no qual será abordada a importância da gestão para a inovação. Os eventos serão transmitidos de forma 100% virtual por meio da ferramenta Zoom. 

 

dois eventos.jpg

LABORATÓRIO DE INOVAÇÃO AURORA

 

Instituído por meio da por meio da Resolução 8/2020, o Laboratório de Inovação Aurora, é um espaço de livre acesso e utilização, para desenvolvimento de iniciativas que estimulem o envolvimento e a cooperação ativa de magistrados, servidores, jurisdicionados e demais colaboradores nas ações e projetos de inovação.  O Laboratório de Inovação Aurora é um espaço lúdico de interação, experimentação e criação conjunta, com uso intensivo de métodos ágeis e práticas colaborativas, que envolvem ações de pesquisa, exploração, ideação, realização de pilotos, prototipagem e testes estruturados de soluções inovadoras, com foco no usuário. O objetivo é fomentar a cultura de inovação e apoiar o desenvolvimento de projetos críticos de transformação dos processos e serviços prestados pelo Tribunal. No dia 2/10, às 16h, o Aurora será apresentado em evento 100% online com transmissão ao vivo pelo canal oficial do TJDFT no YouTube. Durante o lançamento, os participantes terão a oportunidade de fazer um tour 3D pelo laboratório– espaço moderno, propício a troca de experiências e práticas colaborativas - e ainda conhecer o projeto do Cartório 4.0.

 

Inscrições abertas na página da Escola de Formação Judiciária.

 

I SEMINÁRIO NACIONAL DE GESTÃO DA INOVAÇÃO NO JUDICIÁRIO

 

Nos dias nos dias 7, 8 e 9/10, a Escola de Formação Judiciária do TJDFT vai promover o I Seminário Nacional de Gestão e Inovação no Judiciário – A Justiça na era digital, oportunidade em que será debatido como a cultura digital pode impactar a transformação organizacional e aumentar a produtividade ao combinar a automação de rotinas, racionalização de procedimentos e capacitação dos magistrados e servidores em novas competências.  O evento irá reunir palestrantes renomados na área jurídica, de gestão e de inovação, e será destinado a magistrados e servidores do TJDFT, além de membros de tribunais estaduais, federais, superiores e das escolas de governo do Poder Judiciário.  Durante o evento, será lançado concurso de monografias, cuja proposta é estimular o desenvolvimento de soluções inovadoras e pesquisas que possam gerar resultados positivos na prestação jurisdicional. Para participar, basta se inscrever até o dia 02/10 neste link.

 

por ACS — publicado 28/09/2020 12h45, última modificação 28/09/2020 15h06

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/setembro/tjdft-realiza-dois-grandes-eventos-sobre-inovacao

construir cartorio.png

Lançamento Aurora: ajude a construir o Cartório 4.0

 

Quais são os maiores desafios do TJDFT na modernização das atividades cartorárias? Para colaborar com o Tribunal nesta empreitada, conheça o primeiro grande projeto do Aurora – o Cartório 4.0, que será apresentado dia 2/10, às 16h, durante o evento de lançamento do Laboratório de Inovação da Casa.

 

A sociedade tem exigido o aperfeiçoamento crescente da qualidade, da celeridade, da eficiência, da eficácia e da efetividade dos serviços judiciários. Isso tem demandado uma reavaliação das estruturas cartorárias do Tribunal, a fim de escalar a produtividade e celeridade, sem prejudicar a qualidade e assertividade dos julgados.

 

Diante desse grande desafio, surge o projeto Cartório 4.0, com objetivo de desenvolver soluções inovadoras para a tramitação dos processos judiciais, a partir da modernização das atividades cartorárias. A ideia é aperfeiçoar os processos de trabalho, por meio da automação, simplificação, especialização e padronização das rotinas.

 

Para tanto, o TJDFT quer ouvir você, que lida diariamente com a atividade cartorária. Sua colaboração será fundamental para o sucesso da iniciativa. Logo, nada mais propício que desenvolver o Cartório 4.0 dentro do Laboratório de Inovação, ambiente moderno de estímulo à colaboração e experimentação, onde novas ideias são moldadas e ganham forma. 

 

Que saber como ajudar a construir o Cartório 4.0?

 

Inscreva-se no Lançamento do Laboratório de Inovação do TJDFT – Aurora, por meio da página da Escola de Formação Judiciária, e aproveite para fazer um tour virtual 3D pelo laboratório.

 

por ACS — publicado 25/09/2020 12h30, última modificação 25/09/2020 17h29

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/setembro/lancamento-aurora-ajude-a-construir-o-cartorio-4.0

venha conhecer.png

Venha conhecer nosso Laboratório de Inovação – Aurora

 

Aurora chegou para lançar luzes sobre novas ideias. Aurora nasce e representa um novo momento, um marco para inovação na Casa. E você é convidado a fazer parte desta história!

No dia 2/10, às 16h, venha conhecer esse espaço lúdico de interação, experimentação, colaboração e de fomento à cultura da inovação no Tribunal.

 

O evento será 100% online com transmissão ao vivo pelo canal oficial do TJDFT no YouTube. Inscrições abertas na página da Escola de Formação Judiciária.

 

Durante o lançamento, os participantes terão a oportunidade de fazer um tour 3D pelo laboratório – espaço moderno, propício a troca de experiências e práticas colaborativas.

 

Ambiente ideal para pesquisa, exploração, ideação e prototipagem de soluções inovadoras, com foco no usuário, tendo em vista os processos e serviços prestados pelo Tribunal.

 

Na ocasião, você poderá desfrutar ainda de bate-papo descontraído sobre a experiência de implantação do laboratório de inovação do TJPE e conhecer o primeiro grande projeto do Aurora: o Cartório 4.0.

 

E vem desafio por aí. Fique ligado! Sua colaboração será fundamental para o sucesso da iniciativa. Participe! Ajude a construir o Tribunal do futuro.

 

O Laboratório de Inovação do TJDFT foi instituído por meio da Resolução 8/2020.

 

por ACS — publicado 23/09/2020 13h45, última modificação 02/10/2020 09h43

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/setembro/venha-conhecer-aurora-laboratorio-de-inovacao-do-tjdft

TJDFT institui o Laboratório de Inovação Aurora

 

Agora é oficial! O TJDFT instituiu o seu Laboratório de Inovação, por meio da Resolução 8/2020, disponibilizada nesta sexta-feira, 4/9, no DJe. O documento foi aprovado pelo Pleno nesta terça-feira, dia 1º/9.

 

O Laboratório de Inovação Aurora, cujo nome foi escolhido por meio de votação aberta a Magistrados, Servidores e Estagiários, é um espaço lúdico de interação, experimentação e criação conjunta, com uso intensivo de métodos ágeis e práticas colaborativas, que envolvem ações de pesquisa, exploração, ideação, realização de pilotos, prototipagem e testes estruturados de soluções inovadoras, com foco no usuário. O objetivo é fomentar a cultura de inovação e apoiar o desenvolvimento de projetos críticos de transformação dos processos e serviços prestados pelo Tribunal.

 

O espaço será de livre acesso e utilização, para desenvolvimento de iniciativas que estimulem o envolvimento e a cooperação ativa de Magistrados, Servidores, jurisdicionados e demais colaboradores nas ações e projetos de inovação. Ele será coordenado por Magistrado designado pelo Presidente do Tribunal, com base em indicação realizada pelo Comitê de Governança e Gestão Estratégica – CGGE, e contará com uma equipe fixa e equipes multidisciplinares formadas de acordo com a natureza da ação ou do projeto a ser realizado.

institui aurora.jpg

Conforme a Resolução 8/2020, o Laboratório poderá trocar experiências e desenvolver projetos de inovação em conjunto com outros laboratórios, com instituições acadêmicas e com outras entidades públicas e privadas, por meio da realização de acordos, parcerias e formação de redes. 

No Laboratório de Inovação, o usuário será sempre o protagonista no desenvolvimento das soluções e o apoio das unidades judiciais e administrativas da Casa também será fundamental para o seu funcionamento.

 

Prepare-se! Diversas ações e projetos do Laboratório serão lançados em breve, então, não deixe de acompanhar e fazer parte dessa mudança!

 

por ACS — publicado 04/09/2020 11h15, última modificação 04/09/2020 11h16

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/setembro/tjdft-institui-o-laboratorio-de-inovacao-aurora

Laboratório de Inovação já tem um nome vencedor

A Aurora raio no horizonte do TJDFT fazendo resplandecer o brilho da inovação! Você participou, votou e esse foi o nome escolhido para o Laboratório de Inovação do TJDFT.

 

O resultado do concurso para a escolha do nome foi homologado na tarde desta terça-feira, 1º/9, pelo Presidente do Tribunal, Desembargador Romeu Gonzaga Neiva. Entre os três nomes selecionados pela Comissão Julgadora do concurso para irem à votação, Aurora ficou em 1º lugar, com 171 votos, seguido do nome e-NovAção, com 160 votos, e do nome IDEIA - Laboratório de Ideação, inovação e ação, que atingiu 117 votos. A votação, que teve um voto em branco, totalizou 449 participações. O resultado, que estava previsto para sair somente na sexta, 4/9, foi antecipado pois a equipe de TI conseguiu realizar a apuração com antecedência.

 

Aurora foi o nome sugerido pela servidora Adelyse Morais Lopes, do Serviço de Armazenamento, Controle e Digitalização de Documentos. Para ela, Aurora é a claridade que precede o nascer do sol e os primeiros indícios de alguma coisa; um começo. Como nome do laboratório de inovação do TJDFT, representará as primeiras luzes (ideias/iluminação) que trará o futuro e ajudará a revelar (e construir) uma nova realidade, um novo dia. Assim como aurora, um laboratório também é o começo (e um anúncio com direito a show pirotécnico vibrante, emocionante e impactante) de que uma instituição está mudando seu mindset e tem disposição para o novo, para a disrupção. Aurora, ainda, é um nome distinto, íntegro, atemporal. É perfeito, inclusive, para batizar a próxima inteligência artificial criada pelo TJ, mas seria um belo desperdício de nome.

 

nome vencedor.jpg

O 2º lugar, E-NovAção, foi sugerido pelo servidor da Vara de Registros Públicos do DF - VRP Rodrigo Teixeira Marrara e o nome que ficou em 3º lugar, IDEIA - Laboratório de Ideação, inovação e ação, foi inscrito pela servidora Luciana Meneses Delmonte, do Núcleo de Monitoramento Extrajudicial – NUMEX. Os três nomes foram selecionados entre as 411 propostas sugeridas por Magistrados, Servidores e Estagiários, na primeira fase do concurso. As sugestões foram analisadas pela equipe de coordenação e repassadas sem qualquer identificação dos participantes para Comissão Julgadora, que chegou às três opções que foram levadas ao público.  A votação ocorreu de 26 a 28/8, fase na qual também não houve identificação dos participantes.

 

A vencedora será premiada com um ECHO SHOW 8 – Smart Speaker Amazon com tela de 8 polegadas e com Alexa na cor preta, patrocinado pela Amagis e Assejus. O prêmio será entregue na data de lançamento do Laboratório de Inovação Aurora, a ser definida.

 

O concurso para a escolha do nome do laboratório demonstrou o quão valiosa foi a participação de cada um neste processo. Sem dúvida, a criatividade apresentada por tantos servidores se transformará em um banco de inspirações para ações futuras do laboratório, que espera continuar contando com participação de todos. 

 

Laboratório de Inovação

 

O Laboratório será lançado com o objetivo de fomentar a cultura de inovação na Casa e desenvolver projetos de transformação dos processos e serviços prestados pelo Tribunal, com foco no usuário. O espaço será um ambiente lúdico de interação, experimentação e cocriação, capaz de envolver as pessoas na busca por soluções para os problemas complexos de um mundo em constante transformação.

 

Diversas ações e projetos do Laboratório serão lançados em breve, então não deixe de acompanhar e fazer parte dessa mudança!

 

por ACS — publicado 01/09/2020 10h40, última modificação 01/09/2020 15h13

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/setembro/laboratorio-de-inovacao-saiba-qual-foi-o-nome-vencedor

ideias selecionadas.jpg

Laboratório de Inovação: confira as ideias selecionadas

Muita gente inscreveu ideias no Concurso para a escolha do nome do Laboratório de Inovação do TJDFT. Ao todo foram fantásticas 411 participações, que demandaram uma atuação criteriosa da Comissão Julgadora para selecionar apenas 3 sugestões, conforme previsto no edital do concurso. 

 

Os nomes para votação, em ordem alfabética, são os seguintes: Aurora; e-NovAção; e IDEIA - Laboratório de Ideação, inovação e ação.

 

Encerrado o período de inscrição para sugestão dos nomes, que ocorreu de 12 a 21/8, as propostas foram analisadas pela equipe de coordenação do concurso que conferiu a adequação formal das inscrições às disposições do regulamento, instituído pela Portaria Conjunta 86/2020, sob pena de desclassificação das propostas. As consideradas  válidas foram encaminhadas à Comissão Julgadora, instituída pela Portaria GPR 1477/2020, por meio de um sistema criado especialmente para o concurso, desenvolvido em ambiente Oracle Apex. Atenção, as propostas foram encaminhadas sem qualquer identificação dos participantes.

 

A partir desta quarta-feira, 26/8, inicia-se, então, uma nova fase na construção colaborativa desse projeto. Todos seremos convidados a votar em uma das propostas selecionadas, a fim de nomear esse trabalho criativo e inovador da Casa. A votação será realizada por meio de link disponibilizado na intranet, e vai até o dia 28/8, às 23h59. Cada pessoa poderá votar apenas uma vez e será vencedora a proposta que obtiver a maior quantidade de votos.

Fique atento e participe!

 

SAIBA MAIS SOBRE OS NOMES SELECIONADOS

 

Aurora

 

Aurora é a claridade que precede o nascer do sol e os primeiros indícios de alguma coisa; um começo. Como nome do laboratório de inovação do TJDFT, representará as primeiras luzes (ideias/iluminação) que trará o futuro e ajudará a revelar (e construir) uma nova realidade, um novo dia. Assim como aurora, um laboratório também é o começo (e um anúncio com direito a show pirotécnico vibrante, emocionante e impactante) de que uma instituição está mudando seu mindset e tem disposição para o novo, para a disrupção. Aurora, ainda, é um nome distinto, íntegro, atemporal. É perfeito, inclusive, para batizar a próxima inteligência artificial criada pelo TJ, mas seria um belo desperdício de nome.

 

e-NovAção

 

Porque o objetivo é criar novas ações que levem à inovação eletrônica no âmbito da nossa Justiça.

 

IDEIA - Laboratório de Ideação, inovação e ação

 

A Palavra IDEIA que, além de simples, remete à essência da inspiração e da inovação, sob a forma de um acrônimo para ideação(criação), inovação e ação, alinha-se perfeitamente à filosofia do laboratório.

 

por ACS — publicado 25/08/2020 10h30, última modificação 25/08/2020 14h23

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/agosto/laboratorio-de-inovacao-veja-se-sua-ideia-foi-selecionada

Laboratório de Inovação: ajude a nomear esse projeto

 

Faça sua inscrição aqui e concorra a um ECHO SHOW 8 da Amazon com Alexa

 

Em breve, o TJDFT lançará seu Laboratório de Inovação com objetivo de fomentar a cultura de inovação na Casa e desenvolver projetos de transformação dos processos e serviços prestados pelo Tribunal, com foco no usuário.

 

O laboratório nasce num momento em que todo Tribunal teve que se adaptar rapidamente às mudanças para dar respostas aos desafios impostos pela pandemia e, assim, dar continuidade à prestação jurisdicional.

 

O espaço será um ambiente lúdico de interação, experimentação e cocriação, capaz de envolver as pessoas na busca por soluções para os problemas complexos de um mundo em constante transformação.

 

Você também pode fazer parte desta história!

 

ajude a nomear.png

A partir de hoje, 12/8, até as 22h do dia, 21/8, estão abertas as inscrições do concurso para seleção do nome do Laboratório de Inovação do Tribunal, conforme Portaria Conjunta 86/2020.

 

Magistrados, servidores e estagiários são convidados a lançar mão da criatividade e propor um nome original, de fácil escrita, leitura e pronúncia para nosso laboratório de inovação. Ah, o nome também deverá ser inédito!

 

Para participar, preencha o formulário, disponível aqui. A proposta deverá ser individual. Não há limite máximo de inscrições por participante, mas cada formulário deverá conter uma única proposta.

 

Após o encerramento das inscrições, a Comissão Julgadora do concurso, composta por representantes da Presidência, 1ª e 2ª Vice-Presidências, Corregedoria, do 1 º e do 2º Graus, e da Amagis e Assejus, selecionará três nomes.Os nomes selecionados serão divulgados no dia 25/8 e submetidos à votação. O nome mais votado será o vencedor do concurso, cujo prêmio é um ECHO SHOW 8 – Smart Speaker Amazon com tela de 8 polegadas e com Alexa na cor preta, patrocinado pela Amagis e Assejus.A premiação será realizada na data de lançamento do Laboratório de Inovação do TJDFT, a ser definida.

 

Participe! Confira a íntegra do regulamento do concurso no link abaixo.

 

Regulamento do concurso para seleção do nome do Laboratório de Inovação do TJDFT

 

por ACS — publicado 12/08/2020 12h30, última modificação 12/08/2020 18h31

https://intranet2.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2020/agosto/concurso-para-nome-do-laboratorio-de-inovacao